Stevie Ray Vaughan, 1954

Hoje, 3 de outubro de 2014, Stevie Ray Vaughan completaria 60 anos se um acidente de helicóptero não o tivesse tirado de órbita. Em 2013, quando Texas Flood completou três décadas do seu lançamento, fiz… Continue reading

Antes de virar Deus, John Coltrane foi da Marinha

Em 1945 (dizem que no mesmo dia em que os Estados Unidos atacaram Hiroshima, seis de agosto daquele ano), John Coltrane, prestes a completar 19 anos, se alistou na marinha norte-americana. O registro… Continue reading

Eu apostaria as minhas fichas no Burchfield Vituri Quartet

Tá surgindo em Boston um projeto interessantíssimo de jazz moderno. Não que eu não seja suspeito pra falar, mas realmente bateu forte quando ouvi. É o Burchfield Vituri Quartet, quarteto cujos dois arranjadores são Tyler… Continue reading

Onde foi parar o Funk Machine de James Jamerson?

Pipocou semanas atrás na internet um infográfico digno de nota. Eu soube depois de ter recebido (do meu chefe lá no reino dos crachás, num domínio .com.br da vida) o link do No Treble, um espaço dedicado ao mundo dos baixistas… Continue reading

O que aprendi (com a Esquire)

A Esquire, que existe há mais de oitenta anos, tem uma seção chamada ‘What I’ve Learned’, ou O Que Aprendi, em português. A ideia é uma conversa com o entrevistado, sobre a vida,… Continue reading

Jimmy Smith e Alexandre Pires são a mesma pessoa

Isso foi no ano passado. Pedi uma indicação, clara e simples: “Queria escutar uns nomes do jazz que se sagraram com um rhodes ou um hammond”. Dos nomes na mesa, ou talvez tenha sido… Continue reading

Brandt: her life is in your hands

Mexendo em uns emails velhos no feriado, não-lidos, de coisa que se guarda pra ler pro dia que nunca chega, encontrei links e mais links de coisa que não li e não vai… Continue reading

Djavando um Djavan

Quando adolescente, como qualquer adolescente que gostasse de Blind Pigs, NOFX, Lagwagon, ou mesmo depois de adolescente, que gostasse de Pavement e Pixies, eu desprezava – com todas as forças – Djavan e… Continue reading

‘How are you doing this morning, my boy?’, diz Buddy Guy

Mexendo em velhos emails, arquivos antigos e afins, me dei conta de que faz quase dois anos que durante uma ligação internacional, lá pelas 9h da manhã, tempos de freela, eu ouvi, antes… Continue reading

mojica responde #1 – o que faz de um standard um standard?

Standards de jazz são temas recorrentes, conhecidos e tocados rotineiramente em sessões improvisadas – as famosas jam sessions. Não existe um parâmetro que defina um standard, exceto pelo fato de serem tocados regularmente, de preferência de… Continue reading